To surrender

User avatar
Melissa
Posts: 19
Joined: Fri Nov 13, 2015 11:48 am

To surrender

Postby Melissa » Fri Nov 13, 2015 11:53 am

What brings you to Liberation Unleashed?:

I was introduced by a friend after a walk "the camino of santiago". In the Camino I felt something different, a letting go. Something made me more present. At the end I was scared that I was going do "loss it" and this friend introduced me to the book of the gate. At the time it was confusing and I felt to much of a desire and seeking something. It was a fight so I decided to stop and wait. Now what brings me is the desire (but this time a more relaxed type) of getting this done, it seems so in front of me but still invisible.

What do you expect of the conversation on this forum?:

To get it all, to really get the no self thing. ( I am from brasil so me english can get massed up, sorry)

What is your background in terms of seeking and inquiry?:

since 2012 I meditate all types, read a loot in internet, go in retreats... then I get sick its seems to much seeking and I go back and forth. Mooji, Tolle, Adyashanti, Krya, Yoga, Zen... and so on.

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: To surrender

Postby Canfora » Fri Nov 13, 2015 12:15 pm

Melissa! Bem vinda ao fórum da Liberation Unleashed!

O meu nome é Sandra, sou portuguesa e é com enorme prazer que me ofereço para ser o teu guia.

Obrigada pela tua introdução. Quando encontrei este site, também estava mais do que farta de andar à procura de algo e tinha experimentado imensas coisas.

Este forum funciona da seguinte forma: eu guio - faço perguntas e/ou proponho exercícios - e tu observas a tua experiência, para encontrar as tuas respostas para as minhas perguntas. Eu não te vou ensinar nada, sou apenas um guia.

O nosso objectivo é verificar se existe uma entidade chamada Melissa, que está separada de tudo o resto e tem controle sobre a sua própria vida.

Se é isto que pretendes, aqui estão as minhas primeiras perguntas:

- o que é que pensas que pode acontecer se vires que não és um eu separado?
- o que é que vai mudar?

Um abraço,
Sandra

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: To surrender

Postby Canfora » Fri Nov 13, 2015 4:00 pm

Olá Laura! Li o teu e-mail. Estás a ter dificuldades em perceber como o forum funciona?
Para escrever um post aqui, tens que carregar no botão "Post a reply".
Depois é só escrever e carregar em
- Preview (se quiseres ver o aspeto do post antes de o publicar, para veres se queres fazer alterações) ou
- Submit, para publicar o post.

User avatar
Melissa
Posts: 19
Joined: Fri Nov 13, 2015 11:48 am

Re: To surrender

Postby Melissa » Fri Nov 13, 2015 4:03 pm

Oi Sandra, muito obrigada pela intenção de estar aqui comigo!

Meu nome é Laura , não tinha como colocar porque já existem outras mas se puder me chamar por Laura talvez eu perceba melhor :)

Acho que não vai acontecer nada mas que vai ser diferente. Vou estar mais entregue por realmente não me prender na mente. As vezes vem a mente querendo que seja algo incrível que eu sinta amor incondicional por todos e tudo isso mas não sei, talvez seja só um desejo da mente essa parte.

No fundo, eu acho que não vai acontecer nada mas tudo vai ser diferente porque não estou mais engajada em algo irreal.

Por agora, é isso que me aparece.

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: To surrender

Postby Canfora » Fri Nov 13, 2015 4:31 pm

Boa! Obrigada pela resposta, Laura :)
Acho que não vai acontecer nada mas que vai ser diferente. Vou estar mais entregue por realmente não me prender na mente. As vezes vem a mente querendo que seja algo incrível que eu sinta amor incondicional por todos e tudo isso mas não sei, talvez seja só um desejo da mente essa parte.

No fundo, eu acho que não vai acontecer nada mas tudo vai ser diferente porque não estou mais engajada em algo irreal.

Por agora, é isso que me aparece.
Há pessoas que pensam que ver que não são um eu separado pode fazer com que se transformem mágicamente na pessoa que gostariam de ser, ou provocar estados alterados de consciência, ou fazer com que se transformem numa espécie de zombie. As tuas expectativas são muito realistas. De qualquer forma, as expectativas são sempre sobre um futuro imaginado, e também sobre um eu imaginário! Quanto menos expectativas tiveres sobre isto, melhor. O que se pretende é olhar para a realidade como se a víssemos pela primeira vez, sem as nossas ideias preconcebidas.

Devo dizer que é muito agradável guiar em português outra vez, obrigada pela oportunidade!

Qual é a ideia que tens sobre o que é o eu Laura - esta entidade separada, cuja existência estamos a por à prova? Se nos encontrássemos num sítio qualquer, e eu te perguntasse

- onde está o eu que é a Laura e
- o que é o eu que é e Laura,

o que é que me respondias? O que é que me podias mostrar que fosse este eu?

***********************************************************************************************************************

Se quiseres copiar as minhas palavras, como eu fiz acima com as tuas, deves
- colocar o cursor do rato onde queres que a cópia apareça,
- "sublinhar" as palavras que queres copiar com o rato e
- carregar no botão colorido Quote (que está no canto superior direito do meu post).

Se carregares no botão Preview podes ver se a quote ficou bem feita ou não, antes de Submeteres a tua resposta.

User avatar
Melissa
Posts: 19
Joined: Fri Nov 13, 2015 11:48 am

Re: To surrender

Postby Melissa » Sat Nov 14, 2015 1:53 am

Esta na minha cabeça, como uma palavra. Me faz rir quando tu pergunta e eu busco, parece que esta abrindo alguma coisa... rs... Quando eu digo Laura vem vários adjetivos em seguida. Laura e Eu são palavras. Laura eu consigo sentir como algo vazio, como uma marca que não é nada em sí mesmo. O “Eu” é diferente quando eu busco responder a tua pergunta....

O “eu” quando eu falo sinto alguma coisa além da parte mental de ideias do que eu sou isso ou aquilo.... o eu sozinho tem algum espaço não sei explicar, sinto no corpo alguma coisa.

O que é a Laura, é uma história. Mas quando eu digo e busco buscar o “eu”, parece que é alguma coisa. Como se fosse um propulsor, uma energia de impulso, de possibilidade... algo assim.

Obrigada ☺ boa noite

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: To surrender

Postby Canfora » Sat Nov 14, 2015 2:56 pm

Repara que se eu te tivesse pedido para encontrares um copo, em vez de um eu, não tinhas a mais pequena dificuldade em encontrar um copo e afirmar "isto é um copo".

Se não consegues achar um eu, uma entidade separada, da mesma forma que é possível achar o mais comum dos objetos, será possível que este ser, este eu separado da vida não exista?

Se eu afirmar que o eu não existe, nunca existiu e nunca existirá, o que é que pensas, o que é que sentes?

User avatar
Melissa
Posts: 19
Joined: Fri Nov 13, 2015 11:48 am

Re: To surrender

Postby Melissa » Sat Nov 14, 2015 3:36 pm

Verdade.. . Se é tão difícil encontrar e ser prático quanto a isso talvez não exista. Consigo sentir que sim é verdade que “eu” não é algo separado. Mas ainda fica dúvida, por exemplo

Então como as escolhas acontecem? Quem escolhe escrever agora. Ou quando estou irritada e escolho pensar em outra coisa e me desligar... as vezes não consigo... as vezes sim. Parece que existe alguma decisão, algum livre arbítrio.... quem faz isso então?

Quando tu diz “o eu não existe, nunca existiu e nunca existirá, o que é que pensas, o que é que sentes?” Parece certo, parece que não é algo separado. Mas ainda assim não sei se sinto como não sendo nada o que eu sinto... Então "eu" não é nada separado. Ok um pouco. Mas alguma coisa esta acontecendo. Não é separado, não consigo apontar... mas ainda assim alguma coisa simplesmente é.

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: To surrender

Postby Canfora » Sun Nov 15, 2015 7:50 pm

Se quiseres ver como algo acontece tens de observar - como se fosses um cientista a olhar para uma experiência.
As escolhas, por exemplo, como é que acontecem?
Se tiveres de escolher entre chá e café, entre virar à esquerda ou à direita, entre dormir mais cinco minutos ou sair logo da cama - o que é que leva a uma escolha entre estas duas opções? Existe um eu, presente, a escolher entre uma decisão e outra?
Não é separado, não consigo apontar... mas ainda assim alguma coisa simplesmente é.
Sim, alguma coisa simplesmente é. Embora a palavra "coisa" faça parecer que é um objecto. Da mesma forma que "eu", faz parecer que há um "objecto" eu. É desse "objecto" que andamos à procura :)

User avatar
Melissa
Posts: 19
Joined: Fri Nov 13, 2015 11:48 am

Re: To surrender

Postby Melissa » Mon Nov 16, 2015 2:06 am

As escolhas acontecem baseado em tudo já experimentado. Padrões da mente levam a escolhas, movido por crenças, traumas, memórias, gostos, preferencias. Escolhas por proteção ou prazer.

Existem as preferencias desse corpo e mente, as vontades dessa mente, as memorias e padrões dessa mente. O que leva a uma escolha ou outra? Estão acontecendo... Existe a decisão, o verbo decidir existe. Decisão esta acontecendo, escolhas acontecendo. Tem uma logica que faz elas irem em uma direção ou outra. Existem padrões acontecendo.

“Existe um eu, presente, a escolher entre uma decisão e outra?”
O eu que decide é um pensamento também. Copo sem pensamento existe, pego ele vejo ele. Mas eu sem pensamento não existe. “eu” é um pensamento. Existe esse corpo, essa mente, existe um observar.

Esse observar me confunde. Esse testemunhar.

Observação existe, esta acontecendo a todo momento é só eu notar. E essa observação, esse testemunhar ainda que sereno e sem forma não consigo chamar de “nada”. Agora se existe um observador ou se é só a observação acontecendo. Se existe algo que é testemunha ou se é só testemunhar acontecendo. Sem forma separada, só acontecendo... é por aqui que eu devo olhar mais?

Obrigada pela atenção !!!

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: To surrender

Postby Canfora » Mon Nov 16, 2015 11:36 am

Observação existe, esta acontecendo a todo momento é só eu notar. E essa observação, esse testemunhar ainda que sereno e sem forma não consigo chamar de “nada”.
De onde é que vem esta ideia de que há um "nada"?
Foi alguma coisa que aprendeste num livro?
Podemos dizer que há "tudo", podemos dizer que há "nada", mas estas palavras não apontam para o mesmo, para esta experiência que está a acontecer aqui e agora, este momento, este "é"?
Este "é" muda, se lhe chamares "vida", "nada", "tudo", "realidade", ou outra palavra qualquer?
Agora se existe um observador ou se é só a observação acontecendo. Se existe algo que é testemunha ou se é só testemunhar acontecendo. Sem forma separada, só acontecendo... é por aqui que eu devo olhar mais?
O que é que seria essa forma separada? O corpo?
Dirias que és um eu dentro de um corpo?
Se és um eu dentro de um corpo, onde é que este eu está localizado? Para onde apontarias se tivesses que mostrar este eu?

Quando falas sobre a mente, "as vontades dessa mente, as memorias e padrões dessa mente", parece que existe algo chamado mente que tem poder de decisão, é um contentor que guarda todas as memórias passadas e tem controle sobre o que se passa.
Na tua experiência imediata, se olhares para o que está presente, consegues encontrar evidências da existência desta mente?

User avatar
Melissa
Posts: 19
Joined: Fri Nov 13, 2015 11:48 am

Re: To surrender

Postby Melissa » Tue Nov 17, 2015 2:36 am

O que é não muda se eu chamar de tudo ou nada.. claro!! Mudamos a pergunta, muda a visão e fica tão obvio. obrigada!!!!

Hoje passei o dia investigando e estava sentada observando a vida acontecer e ali eu me dei conta + firme que “eu” não existe. Tudo esta acontecendo, as experiências. O observar, o respirar, o decidir, o caminhar.... naquela hora me deu uma sensação diferente. Parece que sim, alguma coisa eu captei. Não tem nada pra acontecer com alguém, porque não tem alguém. Mas a experiência e essa observação trouxe essa ampliação assim... uma energia no meu corpo. Eu comecei a rir... e segui ali investigando e estando presente com aquilo.

Ai eu comecei a observar as pessoas e ver isso através delas também. Não existe o joão, mas a vida acontecendo ali dessa forma. Olhei os carros, as coisas e tudo parecia marcas do que é. A vida acontecendo sem nome, sem necessidade de sentido. Só acontecendo

Alí as expectativas e problemas pareceram perder o peso. Me senti mais viva. Algo assim ...

Segui e veio uma dúvida. Olhando as pessoas e buscando a mesma investigação de não haver aquele “eu” separado naquela pessoa... o que acontece que faz com que eu perceba aqui e não lá? Aqui é mais vivo do que quando eu olho para o outro e investigo lá.

Não existe eu separado. Mas olhando o outro eu sinto como “outro” , mas como? Se não existe “eu” como existe “outro”? Por que não sinto o desenrolar da vida com intensidade pelo outro e sim por aqui? faz sentido minha pergunta?

Sobre as decisões da mente... heheh me fez rir mais uma vez. Não existe algo decidindo, escolhendo... existe só o que está acontecendo. Padrões acontecendo sim... observo em mim, nos outros. Ai veio outra dúvida. Se tudo esta acontecendo sem alguém fazendo quando a gente observa o mundo e as questões como terrorismos (só para dar um exemplo) o que é que está acontecendo que se movimenta assim ? me confundo um pouco nessa hora... quando penso como “ser humano” e o que esta acontecendo não ser escolha de ninguém.

Ai meu dia foi passando e tive que me engajar mais a fundo em algumas atividades então parei a investigação. Eu vou ter que estar sempre investigando para estar percebendo essa separação? Ou quando mais eu vejo mais claro fica em qualquer momento?
Obrigada!!!

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: To surrender

Postby Canfora » Tue Nov 17, 2015 2:29 pm

O que é não muda se eu chamar de tudo ou nada.. claro!! Mudamos a pergunta, muda a visão e fica tão obvio. obrigada!!!!
Sim, o conteúdo dos pensamentos condiciona a forma como vemos as coisas. Muda o conteúdo, muda a nossa relação connosco, com os outros, com o mundo. Mas o que é não muda, mesmo que os pensamentos sobre o que é mudem. Bem observado!
Hoje passei o dia investigando e estava sentada observando a vida acontecer e ali eu me dei conta + firme que “eu” não existe. Tudo esta acontecendo, as experiências. O observar, o respirar, o decidir, o caminhar.... naquela hora me deu uma sensação diferente. Parece que sim, alguma coisa eu captei. Não tem nada pra acontecer com alguém, porque não tem alguém. Mas a experiência e essa observação trouxe essa ampliação assim... uma energia no meu corpo. Eu comecei a rir... e segui ali investigando e estando presente com aquilo.
Conseguiste ver que não há um eu separado de tudo o resto? Fantástico!
Ai eu comecei a observar as pessoas e ver isso através delas também. Não existe o joão, mas a vida acontecendo ali dessa forma. Olhei os carros, as coisas e tudo parecia marcas do que é. A vida acontecendo sem nome, sem necessidade de sentido. Só acontecendo
Sim, sim.
Segui e veio uma dúvida. Olhando as pessoas e buscando a mesma investigação de não haver aquele “eu” separado naquela pessoa... o que acontece que faz com que eu perceba aqui e não lá? Aqui é mais vivo do que quando eu olho para o outro e investigo lá.
Sim, parece que observamos tudo de um ponto de vista que é único, que é pessoal. "Eu" aqui e o que é "não eu" ali fora. Mas consegues encontrar este "eu" que está separado de uma "outra pessoa"?

Como já deves ter reparado, está investigação é feita com os sentidos - usamos o ver, cheirar, tocar, ouvir, saborear, para investigar a existência de um eu separado.

"Vemos" se é possível encontrar o "eu" e a "separação" usando os sentidos.

Um dos sentidos mais fáceis de usar para isto é a audição (a visão pode ser um bocadinho mais complicada, porque começamos automaticamente a pensar sobre o que estamos a ver...).

Aqui vai um pequeno exercício:
  • Senta-te num sítio sossegado, fecha os olhos, e ouve os sons à tua volta.

    O que é que é possível experimentar?

    - 3 coisas distintas: o eu que ouve, o ouvir e o som? ou só o ouvir?

    - é possível encontrar alguma separação usando a experiência de ouvir? alguma barreira, alguma fronteira, a delimitar um "eu", um "ouvir" e um "som"?

    Também podes tentar fazer este exercício com os olhos abertos e ver se é possível apontar com um dedo para estas 4 coisas: um "eu", um "ouvir", um "som" e "o que os separa".

    Espero que não aches o exercício complicado e fico a aguardar os teus comentários!
Ai meu dia foi passando e tive que me engajar mais a fundo em algumas atividades então parei a investigação. Eu vou ter que estar sempre investigando para estar percebendo essa separação? Ou quando mais eu vejo mais claro fica em qualquer momento?
Já deves ter visto imagens que provocam uma ilusão de óptica:

Image
Parece que há duas perspectivas - numa é possível ver uma coisa, noutra é possível ver outra coisa.

Com a ilusão do eu separado é parecido. Quando olhas de uma perspectiva parece que há um eu e quando olhas de outra perspectiva consegues ver que este eu, afinal, não existe.

Este "ver" não muda aquilo que é visto (porque o que é visto é sempre o mesmo, só a perspectiva é que muda) mas pode ser precisa prática para ver desta nova perspectiva.

Quando vi o que a minha guia me estava a apontar, passei pelo menos um mês a olhar, a praticar esta nova "perspectiva" e ainda olho de vez em quando - apesar de saber que o eu separado é uma ilusão.

Espero que esta pequena explicação tenha ajudado - não te esqueças de fazer o exercício :)

User avatar
Melissa
Posts: 19
Joined: Fri Nov 13, 2015 11:48 am

Re: To surrender

Postby Melissa » Wed Nov 18, 2015 10:21 am

Gostei muito da imagem, fez todo o sentindo!!! Preciso investigar mais, olhar. Tudo certo!
Comecei o exercício da audição mas sei que preciso de mais tempo e investigação nisso, então volto daqui a pouco com mais informações!
:)

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: To surrender

Postby Canfora » Wed Nov 18, 2015 12:10 pm

Fico à espera! Boa investigação! :)


Return to “Português”

Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 2 guests