Algum(a) guia português(a) disponível? :)

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Algum(a) guia português(a) disponível? :)

Postby Canfora » Thu Jan 07, 2016 11:31 am

Este "eu" é o processo em si, sendo que pertence a ele próprio.
Consegues explicar isto por outras palavras? O que é este "processo" em termos de experiência?

Abraço!

User avatar
mtil
Posts: 12
Joined: Mon Jan 04, 2016 12:04 pm

Re: Algum(a) guia português(a) disponível? :)

Postby mtil » Thu Jan 07, 2016 7:17 pm

Olá Sandra!
Consegues explicar isto por outras palavras? O que é este "processo" em termos de experiência?
Bom, não sei se consigo, mas vou tentar! Este processo é simplesmente a função da nossa consciência que inclui tudo o que é capacidade de pensar, sentir, experienciar, etc. Somos verbo e não substantivo. Não é tanto sermos um 'algo' que experiencia mas sim sermos o experienciar propriamente dito. Em termos de experiência o processo é ele próprio, é tudo aquilo que experiencio no momento presente, a minha experiência subjectiva composta por sensações, awareness do que estou a sentir e a pensar, awareness de estar aware, etc. Não sei se me consegui explicar...

Abraço :)

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Algum(a) guia português(a) disponível? :)

Postby Canfora » Fri Jan 08, 2016 11:02 am

Viva mtil!

Sim, penso que compreendo o que dizes. E ao mesmo tempo fico a pensar se estás a humanizar aquilo a que chamas processo, como se este processo, em vez de ser um conceito, fosse algo de palpável, sólido e constante, algo que todos temos e carregamos connosco de um lado para o outro, armazenado algures dentro do corpo.

Dirias que essa tua resposta é intelectual ou experiencial?

Consegues decrever como é que algo acontece? Escrever, por exemplo. O que é que acontece que faz com que escrevas a primeira palavra aqui no forum? O que é que decide o que escrever?

Abraço!

User avatar
mtil
Posts: 12
Joined: Mon Jan 04, 2016 12:04 pm

Re: Algum(a) guia português(a) disponível? :)

Postby mtil » Sat Jan 09, 2016 9:06 am

Olá :)
E ao mesmo tempo fico a pensar se estás a humanizar aquilo a que chamas processo, como se este processo, em vez de ser um conceito, fosse algo de palpável, sólido e constante, algo que todos temos e carregamos connosco de um lado para o outro, armazenado algures dentro do corpo.
É uma questão gira, sim, de facto pode-se dizer que estou a humanizar o processo no sentido de ele existir principalmente nos humanos devido à nossa capacidade de auto-consciência, mas por outro lado não quero dizer que ele é algo mais do que natural, simplesmente a natureza a manifestar-se em nós. Que não é algo "especial" e fora deste mundo e da nossa história evolutiva, simplesmente aquilo que acabou por acontecer e o que a evolução acabou impessoalmente por nos oferecer como realidade do que é ser esta espécie de animal a que se dá o nome de humano.
Em relação a ser algo palpável e sólido, depende um pouco o que se considerar por essas palavras. Diria que de certa forma sim porque é algo que tem influência na nossa acção no mundo, o meu eu, mesmo sendo esta ilusão que carrego, tem influência palpável no meu comportamento, desde as coisas pequenas do dia-a-dia, p.ex. comer quando tenho a experiência de sentir fome, às mais macro, existenciais, p.ex. as escolhas que faço para a minha vida (que se baseiam na minha ideia de que tenho um eu que deseja, que tem gostos e desgostos, quer procurar o prazer e fugir da dor, tem força de vontade, sente a necessidade de criar significado para a sua vida, etc.)
Dirias que essa tua resposta é intelectual ou experiencial?
Pois, esse é sempre um problema :P
Experiencio muito destas coisas, mas torna-se difícil explicar por palavras sem recorrer a descrições vindas do intelecto e não da experiência sensorial. O discurso por definição afasta-nos dessa experiência directa, as palavras criam distância aquilo que elas tentam descrever...
Mas voltando à tua pergunta, talvez possa dizer que é em parte experienciado no sentido que se for analisar "experiencialmente" o que está cá dentro a ter a profissão de eu não é possível encontrar nada delimitado, uma coisa, ele é o próprio acto de pensar sobre o assunto, do ter consciência. Sinto umas cócegas num braço, penso nisso e de repente sinto que estou a pensar em cócegas no braço, depois penso nisso e de repente sinto que estou a pensar que consigo pensar que estou a ter cócegas no braço, etc etc...
Consegues decrever como é que algo acontece? Escrever, por exemplo. O que é que acontece que faz com que escrevas a primeira palavra aqui no forum? O que é que decide o que escrever?
Pensando neste exemplo específico diria que ali alguma opacidade dentro, estou agora de mãos pousadas no teclado a olhar para o espaço em branco aqui da caixa de texto, a sentir o toque dos dedos parados nas teclas, a sentir a temperatura da sala, da cadeira ao tocar no corpo, a música que sai das colunas; e, de repente, "algo" vem cá de dentro e começo a escrever a frase que acabei de escrever, ao mesmo tempo que me estou a aperceber que já estou a escrever no passado e não no momento presente, ao mesmo tempo que me estou a aperceber que não sei exactamente de onde as palavras vêm, mas que emergem de algum processo interno, etc. Não sei o que decide o que escrever, poderia responder coisas como o inconsciente ou assim mas isso seriam respostas puramente intelectuais e que não consigo experienciar, simplesmente não sei de onde vêm as palavras. Como não sei de onde vêm os desejos por exemplo, como é que eles emergem dentro de nós, porquê estes e não outros, etc. Não sei se era a isto que te referias, se respondi aquilo que estavas a perguntar!

Um abraço

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Algum(a) guia português(a) disponível? :)

Postby Canfora » Sat Jan 09, 2016 9:06 pm

Viva!

Gosto muito das tuas respostas, mas tenho alguma dificuldade em diferenciar se aquilo que tu escreves é algo que aprendeste algures ou é a tua experiência. Assim sendo aqui vão algumas perguntas sobre o corpo:

Existe um eu dentro do corpo?
Existe um eu que controla o corpo?

Nada de respostas intelectuais! Observa a tua experiência do corpo e descreve o que vês :)

Abraço!

User avatar
mtil
Posts: 12
Joined: Mon Jan 04, 2016 12:04 pm

Re: Algum(a) guia português(a) disponível? :)

Postby mtil » Sun Jan 10, 2016 1:40 am

Olá Sandra,

Grato pelas perguntas e continuação de diálogo!
Gosto muito das tuas respostas, mas tenho alguma dificuldade em diferenciar se aquilo que tu escreves é algo que aprendeste algures ou é a tua experiência.
Ahah, é sempre um misto! Há tanto de pescadinho de rabo-na-boca no nosso "eu" como em qualquer processo de aprendizagem e interacção com a realidade. O que escrevi experienciei, mas tudo o que leio e me vou esforçando por aprender vai-me também moldando a experiência, chamando-me a atenção para certas coisas, ajudando-me a centrar o foco nesta ou naquela sensação, etc. Portanto diria que acaba por ser uma influência mútua... Mas vou tentar responder o mais ligado às sensações que conseguir! (às vezes é difícil "desligar o cérebro" e não o deixar "contaminar" a experiência directa...)
Existe um eu dentro do corpo?
Existe um eu que controla o corpo?
Fechei os olhos e permaneci um pouco assim. A minha atenção virou-se para o sabor e temperatura na língua (tinha acabado de beber café), um prazeroso formigueiro nos pés devido a estar a senti-los descalços nos mosaicos do chão frio, e a leve pressão do peso do corpo sobre os ante-braços pousados na mesa. De olhos fechados tinha esta percepção de eu, composta principalmente por estes três grupos de sensações dentro do corpo, e que me faziam também ter uma leve sensação de presença ou volume do que é o meu corpo, pelo menos a sensação dos pés e as sensações na língua faziam-me ter a percepção do comprimento do mesmo, que de certa forma "existo" desde os pés à cabeça. Ao mesmo tempo tenho uma leve sensação de observador, de "algo", talvez situado atrás dos olhos, que "olha" o resto do corpo e estas sensações que descrevi. Reparo que se tento focar a atenção nesta "coisa que olha" começo a sentir as delimitações físicas da minha cabeça, umas subtis sensações de formigueiro na face, no coro cabeludo, no cérebro (algures dentro do crânio, mais no topo da cabeça), na nuca, e que se volto a atenção para as sensações no corpo começo a perder a sensação desta "coisa que olha" e como que esse foco de atenção começa a descer aos poucos o corpo, primeiro a garganta/pescoço, depois as costas que estão a tocar a cadeira, depois as pernas, depois o tal formigueiro nos pés a tocar o chão frio que descrevi à pouco, etc. Acho que esta a descrição de "eu dentro do corpo" unicamente através da experiência que consigo fazer para responder à tua questão.
Quanto à tua pergunta sobre se existe um eu que controla o corpo, sinto aquela opacidade que falava, não consigo bem sentir uma "coisa" que controle mas há comportamentos a emergir cá de dentro. Por exemplo, ao estar a escrever isto e depois de beber o café, sem fazer nenhum esforço consciente nesse sentido ou pensar no assunto antes de o fazer, "quis" beber água e levantei-me para a ir buscar (só me apercebi desta acção assim que o meu corpo deixo de estar a tocar a cadeira, assim que estava levantado uma "luzinha" acendeu-se cá dentro na consciência a dizer "olha, estás levantado"). Não consegui sentir o "eu" que me obrigou a levantar para ir buscar água, senti sede e o corpo naturalmente levantou-se para ir tratar do assunto. Mas agora que estou a pensar sobre essa acção (e a pensar que estou a pensar sobre essa acção, isto é, ao me pôr a pensar lembrei-me que estava a fugir da experiência directa e a ir para o pensamento intelectual, mas depois ao me aperceber disso voltei à experiência directa com o sentir que estava a pensar), o comportamento de beber água depois de beber café é algo que literalmente faço sempre, é um comportamento que está guardado algures no eu, por ventura nascido de um reconhecimento de que se beber muito café (coisa que faço) e não passar água nos dentes de seguida, que eles podem vir a amarelar, daí que é uma decisão partida do ego, de um "eu" que não quer começar a ter dentes amarelos. Ou pelo menos algo me diz (sendo este "algo me diz" uma convenção da linguagem, não estou a sentir este "algo", apenas reparo no comportamento à posteriori) que deva beber água a seguir a beber café, e que me criou esta tendência, este padrão de comportamento. O que sinto na altura é que me sabe bem beber água a seguir ao café, embora não consiga especificar este "saber bem", é um pouco como a sede, uma pessoa sente e pronto! Daí que acaba por ser um desejo, sinto um desejo, mesmo sendo um desejo opaco, como tinha referido na última resposta, não percebendo de onde ele vem. Simplesmente emerge "cá de dentro". E agora ao escrever isto voltei a sentir-me a pensar, com o pensamento que me veio à cabeça de que estou a ter um desejo, uma procura do prazer e aversão à dor típica de um ego, uma vontade de continuidade de um "eu"...

Mas bom, assim de repente foram as coisas que senti, foi o possível em termos de descrição directa e a tentar "desligar a mente"!

Um grande abraço :)

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Algum(a) guia português(a) disponível? :)

Postby Canfora » Sun Jan 10, 2016 8:42 pm

Olá mtil e obrigada pelas tuas respostas! Este site está outra vez a fazer logout sem avisar. Não te esqueças de copiar o texto antes de enviar o teu post (ctrl+A e ctrl+C), para não teres de escrever uma resposta outra vez.
Fechei os olhos e permaneci um pouco assim. A minha atenção virou-se para o sabor e temperatura na língua (tinha acabado de beber café), um prazeroso formigueiro nos pés devido a estar a senti-los descalços nos mosaicos do chão frio, e a leve pressão do peso do corpo sobre os ante-braços pousados na mesa. De olhos fechados tinha esta percepção de eu, composta principalmente por estes três grupos de sensações dentro do corpo, e que me faziam também ter uma leve sensação de presença ou volume do que é o meu corpo, pelo menos a sensação dos pés e as sensações na língua faziam-me ter a percepção do comprimento do mesmo, que de certa forma "existo" desde os pés à cabeça.
Se subtrairmos os pensamentos que "intelectualizam" a experiência (ex: "devido a estar a senti-los descalços nos mosaicos do chão frio", "tinha acabado de beber café"), e o nomear de partes do corpo (porque "língua, pés, ante-braços, olhos, cabeça" são palavras aprendidas e não são a experiência em si...) é possível afirmar que, com os olhos fechados, a experiência a que chamamos corpo é = sensações?

Se voltares a fazer o que fizeste - fechar os olhos e permanecer um pouco assim - e te focares só nas sensações

- é possível sentir um eu?

- é possível encontrar limites, uma fronteira, uma separação, onde um "eu" acaba e um "não eu" começa?
Ao mesmo tempo tenho uma leve sensação de observador, de "algo", talvez situado atrás dos olhos, que "olha" o resto do corpo e estas sensações que descrevi. Reparo que se tento focar a atenção nesta "coisa que olha" começo a sentir as delimitações físicas da minha cabeça, umas subtis sensações de formigueiro na face, no coro cabeludo, no cérebro (algures dentro do crânio, mais no topo da cabeça), na nuca, e que se volto a atenção para as sensações no corpo começo a perder a sensação desta "coisa que olha" e como que esse foco de atenção começa a descer aos poucos o corpo, primeiro a garganta/pescoço, depois as costas que estão a tocar a cadeira, depois as pernas, depois o tal formigueiro nos pés a tocar o chão frio que descrevi à pouco, etc. Acho que esta a descrição de "eu dentro do corpo" unicamente através da experiência que consigo fazer para responder à tua questão.
Lendo o que escreveste a impressão que tenho é que não encontraste um eu a observar a experiência, apesar de teres olhado (olhar = usar o sentidos) para os sítios onde parecia que esse eu estava. Foi isso que aconteceu?

Espero não estar a ir depressa demais, se for o caso diz, se faz favor :)

Abraço!

User avatar
mtil
Posts: 12
Joined: Mon Jan 04, 2016 12:04 pm

Re: Algum(a) guia português(a) disponível? :)

Postby mtil » Fri Jan 15, 2016 11:27 am

Olá Sandra!
Desculpa a demora a responder, estive estes ultimos dias num local mesmo remoto e sem acesso à internet, a quatro horas a caminhar pelas montanhas até à primeira aldeia com rede de telemovel :P
Agora estou aqui na aldeia e vou ler a tua resposta e tentar responder. Mas é possivel continuarmos por email? O sinal de net é tão fraquinho que está a ser muito dificil de usar o forum, da muitos erros e demora muito tempo...

Beijinho, obrigado!

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Algum(a) guia português(a) disponível? :)

Postby Canfora » Fri Jan 15, 2016 11:50 am

Olá mtil!

Uh, não preferes parar este inquérito e apreciar as montanhas?
Podes voltar ao forum quando regressares à tua vidinha normal.
De qualquer forma envio o meu email por mensagem privada. No menu de cima, onde carregas para fazer login, deves ver a opção novas mensagens entre parênteses (tens de fazer login primeiro). Se carregares aí vais parar às tuas mensagens.

Beijinhos e aproveita as montanhas!


Return to “Português”

Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 2 guests