Way to Light

Dansk, Nederlands, Suomeksi, Portuguesa
User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Way to Light

Postby Canfora » Thu Nov 08, 2018 12:48 pm

Bom, e então? O que é que pensas sobre isso?

User avatar
LightEternal
Posts: 130
Joined: Thu Aug 02, 2018 8:04 am

Re: Way to Light

Postby LightEternal » Thu Nov 08, 2018 11:25 pm

Boas Sandra,

penso que estou inclinado a ver que não há ninguém aqui, as coisas que acontecem não estão relacionadas com ninguém em particular, são simples eventos. ninguém pensa os pensamentos, os pensamentos não pensam por si próprios, a sugestão de um pensador é apenas outro pensamento :). pensamentos acontecem, sons acontecem, sensações acontecem, visualizações acontecem mas não se referem a ninguém. portanto não sou o corpo, porque isso implicava alguma entidade que possui um corpo. está aqui um corpo é certo mas não tem dono. como é isso possível? não faço ideia, mas afinal de contas nunca sabemos a origem dos eventos, tudo interage com tudo, por isso também não têm importância.

ainda assim tenho uma vaga sensação que isto são deduções lógicas e não convicção. acho que a minha dúvida se prende se existe alguma entidade, algum centro de comando, inconsciente que não pode ser rastreado, mas que está a puxar os cordelinhos. porque isto é tudo muito dificil de engolir, de repente não sou nada, apenas esta consciência ambulante, é um bocado assustador. mas eu não me importo de ser aquilo que seja, se é verdade é verdade, mas queria ter a certeza disso. Para já estou inclinado para isso mas ainda não estou seguro.

se estiver a ser muito bronco dá-me um estalo virtual :)

bjs

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Way to Light

Postby Canfora » Fri Nov 09, 2018 11:31 am

Ahah! Não tenho a menor habilidade para usar um zen stick.
Diz-me uma coisa. Tens algum animal de estimação? Ou convives com uma criança com menos de um ano?

Claro que são deduções lógicas. Sem fazer deduções lógicas como é que podes falar comigo sobre isto?

É a velha história - quase todas as pessoas a referem quando chegam aqui ao forúm, se leres algumas das introduções torna-se bastante óbvio - da diferença entre ter uma realização intelectual e uma realização experiencial.

Atualmente acho sempre estranha a expetativa de ter uma realização experiencial quando sempre se viveu a experiência de não se ser um eu. É um bocado como um peixe querer experimentar a água! Quando a única coisa que sempre conheceu é a água. Talvez seja por isso que o caminho mais direto é teres a realização do que não é a água.

Até agora verificaste que aquilo que pensavas ser o eu não o é. Mas continuas a sentir que és um eu. Porque é que querias sentir o contrário? Qual seria a utilidade para ti de sentires que és um com tudo ou que entraste na twilight zone? Como é que poderias experimentar ser algo de diferente do que sempre foste? Ver o que não está aqui agora é possível. Ver o que está aqui agora é possível. Aceitar e assimilar o que se vê ou não vê é capaz de ser mais difícil, sim. Mas porquê? É um pouco como se tivesses a esperança de que a não aceitação, as dúvidas, tivessem o poder de mudar alguma coisa. O quê exatamente?

Bjs

User avatar
LightEternal
Posts: 130
Joined: Thu Aug 02, 2018 8:04 am

Re: Way to Light

Postby LightEternal » Fri Nov 09, 2018 4:32 pm

Boas tardes Sandra,
Tens algum animal de estimação?
sim, tenho um gato (só podia :D )
Claro que são deduções lógicas. Sem fazer deduções lógicas como é que podes falar comigo sobre isto?
certo.
Atualmente acho sempre estranha a expetativa de ter uma realização experiencial quando sempre se viveu a experiência de não se ser um eu. É um bocado como um peixe querer experimentar a água! Quando a única coisa que sempre conheceu é a água. Talvez seja por isso que o caminho mais direto é teres a realização do que não é a água.
sim, já há muito tempo que assimilei isso. a questão não é ver o que sou, porque sou sempre isso, não posso ser mais do que já sou, mas é antes ver aquilo que não sou. a ilusão que me está a enganar.
Até agora verificaste que aquilo que pensavas ser o eu não o é. Mas continuas a sentir que és um eu. Porque é que querias sentir o contrário? Qual seria a utilidade para ti de sentires que és um com tudo ou que entraste na twilight zone?
Sandra, tem de haver um critério, como é que sei quando realmente vejo a realidade e que sou a realidade? terá que haver algum ponto no tempo em que isso acontece. sei que isto não está relacionado com tempo, eu sou tão realizado como tu, a questão é que eu acredito que sou outra coisa qualquer. mas de qualquer maneira terá que haver algum ponto em que eu vejo a ilusão a operar, e vejo que isto tudo, os conceitos, as histórias de um eu separado sempre foram mentira.
Aceitar e assimilar o que se vê ou não vê é capaz de ser mais difícil, sim. Mas porquê? É um pouco como se tivesses a esperança de que a não aceitação, as dúvidas, tivessem o poder de mudar alguma coisa. O quê exatamente?
sim, acertaste em cheio. Aceitar e assimilar é que é lixado. Porquê? Porque o condicionamento é muito grande. É fácil de ver que não sou qualquer categoria cultural e social. Isso é fácil. É fácil de ver que não sou a mente. Também é fácil. Agora que não sou o corpo, que a escrita corre automática, o braço levanta-se, as palavras são faladas, não há nenhuma entidade aqui dentro, isso é que é difícil de assimilar. repara que até o raio da linguagem não ajuda nada "eu isto, eu aquilo, eu faço, eu aconteço..." há sempre uma continua sugestão de autoria, de existência separada. *suspiro*

bjs

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Way to Light

Postby Canfora » Sat Nov 10, 2018 10:40 pm

Viva Pedro!

Também tenho um gato. Está neste momento a ajudar-me a teclar :D

Sugiro que vás vendo se o gato é vida ou se está de alguma forma separado da vida.
Se o que está ali é uma entidade dentro de um corpito de gato ou se é... vida. Não encontro uma forma muito melhor de dizer isto. A ideia é ires vendo se nesse aspeto és semelhante ou diferente do gato. Se sendo um gato vida e não separado desta o mesmo se passa contigo. Ou se és algo de separado. Espero ter explicado mais ou menos.
a ilusão que me está a enganar.
E se não existir um eu para ser enganado? E se esta ideia for mais uma das que mantêm a ilusão?
Sandra, tem de haver um critério, como é que sei quando realmente vejo a realidade e que sou a realidade? terá que haver algum ponto no tempo em que isso acontece.
É possível ver algo que não seja aquilo a que chamamos realidade? Se sim, o quê?
Pensas que atualmente és irreal? De que forma?
mas de qualquer maneira terá que haver algum ponto em que eu vejo a ilusão a operar, e vejo que isto tudo, os conceitos, as histórias de um eu separado sempre foram mentira.
A que é que estás a chamar ilusão exatamente? O que é que esperas ver?

Bjs,
S

User avatar
LightEternal
Posts: 130
Joined: Thu Aug 02, 2018 8:04 am

Re: Way to Light

Postby LightEternal » Sun Nov 11, 2018 9:19 pm

Boas Sandra,

sim, já várias vezes vi e pensei nisso, o meu gato (e todos suponho) está sempre presente. pode estar preguiçoso, pode estar a comer, pode estar no sofã mas está sempre aqui, as reações e comportamentos que tem é sempre de quem nunca se afastou do aqui e agora. é um sortudo :D. mas ok, eu vou estando atento ao que pediste.
E se não existir um eu para ser enganado? E se esta ideia for mais uma das que mantêm a ilusão?
se não houver um eu que está a ser enganado pela aparência da separação, então nada está a ser enganado, não há engano. se esta for mais ideia que reforça a ilusão então é já uma ideia muita avançada, suponho que deve surgir em seekers desgastados como eu :p lol. mas é bom a gente esmiuçar tudo.
É possível ver algo que não seja aquilo a que chamamos realidade? Se sim, o quê?
Pensas que atualmente és irreal? De que forma?
não, só existe isto. esta banalidade.
não, não acho que seja irreal, mas honestamente já não sei o que sou.
A que é que estás a chamar ilusão exatamente? O que é que esperas ver?
já percebi. quanto mais eu espero por algum fenómeno de clareza mais eu reforço a noção do eu insatisfeito e mais acredito que aquilo que sou não está aqui e agora. mas respondendo à tua pergunta, não sei o que espero, algum tipo de fusão talvez hihihi não sei bem. o que sei é que ainda não me sinto completo e não cheguei "lá".

bjs

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Way to Light

Postby Canfora » Mon Nov 12, 2018 4:54 pm

Viva Pedro,
sim, já várias vezes vi e pensei nisso, o meu gato (e todos suponho) está sempre presente. pode estar preguiçoso, pode estar a comer, pode estar no sofã mas está sempre aqui, as reações e comportamentos que tem é sempre de quem nunca se afastou do aqui e agora. é um sortudo :D. mas ok, eu vou estando atento ao que pediste.
Não é bem disso que eu estou a falar. Não estou a pensar no estar aqui e agora. Tu, tal como o gato, estás aqui e agora. Onde mais é que poderias estar? :D

O gato está separado da vida? O ser um gato faz com que seja um eu-gato? Ou o gato = vida?
E tu? És um eu-Pedro ou um eu = vida?
Separado ou igual a, parte de, similar,...
se não houver um eu que está a ser enganado pela aparência da separação, então nada está a ser enganado, não há engano. se esta for mais ideia que reforça a ilusão então é já uma ideia muita avançada, suponho que deve surgir em seekers desgastados como eu :p lol. mas é bom a gente esmiuçar tudo.
Oh senhores, não dualidade ao ataque. Vejo que pensaste em vez de veres a resposta. Tens 0 pontos! Mas realmente as perguntas convidavam à reflexão em vez de apontarem para isto. O que está aqui.
esta banalidade.
Achas isto banal? Já reparaste que não é possível descrever isto, reproduzir isto, perceber isto? O que é que há de banal em nem sequer saberes o que és? Ou o que isto é?
não, não acho que seja irreal, mas honestamente já não sei o que sou.
Nem tu nem ninguém. A não ser, é claro, se enveredares por uma teoria qualquer. Felizmente aquilo que és é, não precisa de saber para ser.
algum tipo de fusão talvez hihihi não sei bem. o que sei é que ainda não me sinto completo e não cheguei "lá".
Castiço. É curioso como o filtro com que encaras isto é tão persistente. Lá onde? Onde é esse lá? Tu não te sentes completo? O que é este tu exatamente? O que é que existe aqui que precisa de se sentir completo? Ou que pode vir a ficar completo?

Bjs
S

User avatar
LightEternal
Posts: 130
Joined: Thu Aug 02, 2018 8:04 am

Re: Way to Light

Postby LightEternal » Tue Nov 13, 2018 6:56 pm

Boas Sandra,
O gato está separado da vida? O ser um gato faz com que seja um eu-gato? Ou o gato = vida?
E tu? És um eu-Pedro ou um eu = vida?
Separado ou igual a, parte de, similar,...
ora bem, olhando com atenção para o meu bichinho :D não acho que ele se sinta uma entidade separada, acho que ele deve sentir que é mesmo vida, não algo separado que está a tentar ser alguma coisa.

Quanto ao Pedro, o Pedro é só vida, só vê a vida a decorrer, a realidade e o Pedro não se separam nem a tiro :D. o problema é quando o Pedro dá-lhe para a reflexão, ele acha que ainda não chegou onde tem de chegar e acha que tem de fazer mais algum esforço para ter o entendimento final. mas ao mesmo tempo eu sei que não existe entendimento final, eu já sou aquilo que sou. é complicado :(
Achas isto banal? Já reparaste que não é possível descrever isto, reproduzir isto, perceber isto? O que é que há de banal em nem sequer saberes o que és? Ou o que isto é?
pois, acho que é o hábito mental, uma pessoa habitua-se a ver sempre os mesmos espaços, as mesmas caras, até os mesmos acontecimentos, e depois já nem presta bem atenção ao real. é aquela sensação mehhhhh. mas prestando bem atenção nota-se que a realidade possui coisas fantásticas, ela é fantástica.
Castiço. É curioso como o filtro com que encaras isto é tão persistente. Lá onde? Onde é esse lá? Tu não te sentes completo? O que é este tu exatamente? O que é que existe aqui que precisa de se sentir completo? Ou que pode vir a ficar completo?
por acaso hoje até estive bastante presente portanto senti-me completo. eu acho que é aquela sugestão mental contínua que diz que as coisas não estão claras, não estão no seu ideal, e que falta alguma coisa para sentir-me inteiro. basicamente é uma sensação de insatisfação. mas claramente vejo que é produto da mente, por pior que me sinta se não houver história a acompanhar, o momento presente é como é, podem haver sensações ou situações desconfortáveis mas elas não são erradas ou são defeitos a corrigir.

há uns posts atrás disseste uma coisa intrigante, aquela do peixe dentro da água que está a procurar a água, ele não descobre a água porque ele não se pode separar dela. portanto o melhor para ele descobrir o que é, é por em causa o que ele acredita que é, o peixe separado. ontem e hoje tava a fazer meditação e lembrei-me de procurar as fronteiras, ou seja onde eu acabo e a realidade começa, e sem dúvida que não vejo separação nenhuma. a linguagem é que sugere "meu corpo" "minhas sensações"... mas é este "meu" é muito manhoso, começo a desconfiar dele ;)

bjs

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Way to Light

Postby Canfora » Wed Nov 14, 2018 5:16 pm

Viva Pedro, obrigada pelo teu post, que me fez rir. Tens um sentido de humor engraçado! Não me parece que o gato sinta que é vida, diria mais que o gato é vida que sente, tal como nós e não perde tempo a ponderar o óbvio. Mas isto já sou eu a inventar.

O que é que nisso de te sentires incompleto te leva a pensar que um eu real, independente, constante e separado deve existir?

Se não encontras um eu aqui e agora que possa "usar" quer a etiqueta de "completo" quer a de "incompleto", qual é a utilidade desta história, desta ambição de ser diferente? Porque é que de certa forma te agarras a ela?

Se não pensasses neste tipo de coisas, vias-te a ti próprio como alguém que pode vir a ser diferente? Ou que deseja ser diferente? Ou o que és seria suficiente, completo em si próprio, sem precisar de ser julgado e comparado com ideias perfeccionistas?

Imagina que te aparece um génio da lâmpada e que os teus 3 desejos são:
1 - ver a ilusão do eu separado
2 - sentires-te completo
3 - teres a compreensão imediata e absoluta de tudo e mais alguma coisa

E voilá, todos os teus desejos se realizavam. O que é que mudaria em termos da tua experiência imediata? Já não tinhas dúvidas e sentias-te bem. Mas em termos do que és mudava alguma coisa? Deixavas de ser um eu? Ou passavas a ser um eu? Ou algo desse género? O que é que alcançar 1, 2 e 3 mudaria além da perspetiva através da qual vês as coisas?

Repara que, de vez em quando, vês a ilusão, sentes-te completo e compreendes. E às vezes o contrário acontece. A ilusão vai e vem, os sentimentos mudam e os conhecimentos evoluem. Se estes 3 fatores são, realisticamente falando, impermanentes, será que podes confiar neles para medir o teu progresso e validar as tuas conclusões? Ou será que existe algo em que possas confiar mais, uma forma mais eficaz de verificar se estás mais perto de ver o que está aqui e agora tal como é? Mesmo que te sintas completo e sejas um génio absoluto só há uma maneira de veres a ilusão. Uma forma de verificares se o eu dos teus pensamentos é algo de sólido, permanente, separado. É olhando para o que está aqui agora. Por isso olha. Consegues ver um eu? Procurar fronteiras é uma boa ideia. Mas estás muito provavelmente a fazer um exercício de imaginação. Olha para o que está aqui. É possível encontrar um eu ou não?

Bjs,
S

User avatar
LightEternal
Posts: 130
Joined: Thu Aug 02, 2018 8:04 am

Re: Way to Light

Postby LightEternal » Wed Nov 14, 2018 10:41 pm

Boas noites Sandra,
O que é que nisso de te sentires incompleto te leva a pensar que um eu real, independente, constante e separado deve existir?
é a teoria espiritual. a teoria diz que o facto de nós estarmos sempre insatisfeitos e à procura de algo é na realidade a busca da pessoa pela sua própria natureza, o sentir-se em casa, sentir-se completo. e verdade seja dita, só quando estou mesmo presente é que não estou à procura de coisa nenhuma e sinto-me completo. mas na realidade todos estes posts estão a surtir alguma coisa pois eu já há bastante tempo que não estou à procura de coisa nenhuma, a não ser claro, descobrir o que sou.
Se não encontras um eu aqui e agora que possa "usar" quer a etiqueta de "completo" quer a de "incompleto", qual é a utilidade desta história, desta ambição de ser diferente? Porque é que de certa forma te agarras a ela?
pois, sentir-me completo ou incompleto faz parte do momento presente, sem história a agarrar-me não existe crença que isso é uma anomalia que tem de mudar. fonix, sempre pensei que pelo menos essa sensação devia desaparecer :o
Se não pensasses neste tipo de coisas, vias-te a ti próprio como alguém que pode vir a ser diferente? Ou que deseja ser diferente? Ou o que és seria suficiente, completo em si próprio, sem precisar de ser julgado e comparado com ideias perfeccionistas?
completamente. eu podia estar com a maior pedrada do mundo que nada seria mais perfeito do que já é. o pensamento é que mete defeitos. a realidade é sempre perfeita, ela é como é. mesmo essas noções de completo, incompleto, bem, mal, feliz, triste, caem por terra. sem linguagem não existe sugestão de melhoria porque nunca houve uma base de disfuncionalidade.

amanhã respondo-te ao resto que isto hoje foi massivo :) obrigado

bjs

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Way to Light

Postby Canfora » Thu Nov 15, 2018 4:07 pm

Pode-se dizer que estava inspirada :)
até depois

User avatar
LightEternal
Posts: 130
Joined: Thu Aug 02, 2018 8:04 am

Re: Way to Light

Postby LightEternal » Thu Nov 15, 2018 8:43 pm

Boas Sandra, parte 2 -

Imagina que te aparece um génio da lâmpada e que os teus 3 desejos são:
1 - ver a ilusão do eu separado
2 - sentires-te completo
3 - teres a compreensão imediata e absoluta de tudo e mais alguma coisa

E voilá, todos os teus desejos se realizavam. O que é que mudaria em termos da tua experiência imediata? Já não tinhas dúvidas e sentias-te bem. Mas em termos do que és mudava alguma coisa? Deixavas de ser um eu? Ou passavas a ser um eu? Ou algo desse género? O que é que alcançar 1, 2 e 3 mudaria além da perspetiva através da qual vês as coisas?
isto é um bocado especulação, não sei bem. mas supondo que 1 2 3 (e supondo que o ponto 3 se refere a ver as coisas como elas são) são atingidos e acho que passaria a ver aquilo que é, e não aquilo que eu acho que é. para além disso todas as histórias mentais sobre "eu" "meu" e todo o tipo de ideias de evolução ou regressão perdiam o valor. afinal se não há aqui ninguém, não há nenhum ponto de referência de onde e para onde todas as histórias derivam. só há aquilo que existe neste momento.
Repara que, de vez em quando, vês a ilusão, sentes-te completo e compreendes. E às vezes o contrário acontece. A ilusão vai e vem, os sentimentos mudam e os conhecimentos evoluem. Se estes 3 fatores são, realisticamente falando, impermanentes, será que podes confiar neles para medir o teu progresso e validar as tuas conclusões?
sim, há muitas oscilações, mas tenho uma tendência para ver isto de forma progressiva - quanto mais presente estiver mais perto estou de ver a verdade. mas convosco noto que isto tudo não tem nada a ver com a forma como nós estamos ou nos sentimos. para descobrir a verdade há outra forma.
Ou será que existe algo em que possas confiar mais, uma forma mais eficaz de verificar se estás mais perto de ver o que está aqui e agora tal como é?
sim, é isso, é o que estamos a fazer :).
Mesmo que te sintas completo e sejas um génio absoluto só há uma maneira de veres a ilusão. Uma forma de verificares se o eu dos teus pensamentos é algo de sólido, permanente, separado. É olhando para o que está aqui agora. Por isso olha. Consegues ver um eu? Procurar fronteiras é uma boa ideia. Mas estás muito provavelmente a fazer um exercício de imaginação. Olha para o que está aqui. É possível encontrar um eu ou não?
não vejo nada, nadinha. nem a atenção consigo direccionar ou escolher. não vejo eu nenhum. nada nos bastidores. mas essa percepção/entendimento parece-me simples demais. ok, não vejo nada, e depois?
se calhar é esta expetativa que alguma coisa tem de acontecer que me está a bloquear. nestes dias vou continuamente olhar para o que está à frente dos meus olhos, sem esperar nenhum click ou que algo se torne diferente. que achas?

bjs

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Way to Light

Postby Canfora » Fri Nov 16, 2018 7:52 pm

Viva Pedro, obrigada pelas tuas respostas.
isto é um bocado especulação, não sei bem. mas supondo que 1 2 3 (e supondo que o ponto 3 se refere a ver as coisas como elas são) são atingidos e acho que passaria a ver aquilo que é, e não aquilo que eu acho que é. para além disso todas as histórias mentais sobre "eu" "meu" e todo o tipo de ideias de evolução ou regressão perdiam o valor. afinal se não há aqui ninguém, não há nenhum ponto de referência de onde e para onde todas as histórias derivam. só há aquilo que existe neste momento.
Não é bem perder o valor - até porque de certa forma não tem valor intrinseco. As ideias, as histórias são sobre o eu mas não são o eu. Nem sequer são reais, são só a nossa interpretação. É mais o aperceberes-te que, depois de todas as voltinhas que deste a tentar chegar ao teu ideal, continuas no mesmo sítio. O que de certa forma perde o valor é o tentares escapar, a ilusão da fuga, a cenoura que balança lá ao longe e que te fazia avançar. Mas isto leva tempo. E não é necessário que aconteça para se ter a certeza de que o eu é ilusório.
nestes dias vou continuamente olhar para o que está à frente dos meus olhos, sem esperar nenhum click ou que algo se torne diferente. que achas?
Acho bem.
Uh, só para ter a certeza de que estamos em sintonia, faz aquilo que dizes que vais fazer e descreve-me o que fazes e vês. Só para ter a certeza de que para ti olhar com os olhos é o mesmo que para mim.

Ou seja,o que é que fazes para procurar evidências concretas que possas partilhar comigo? E o que é que encontras?

Bjs,
S

User avatar
LightEternal
Posts: 130
Joined: Thu Aug 02, 2018 8:04 am

Re: Way to Light

Postby LightEternal » Sun Nov 18, 2018 9:12 pm

Boas noites Sandra,
Uh, só para ter a certeza de que estamos em sintonia, faz aquilo que dizes que vais fazer e descreve-me o que fazes e vês. Só para ter a certeza de que para ti olhar com os olhos é o mesmo que para mim.

Ou seja,o que é que fazes para procurar evidências concretas que possas partilhar comigo? E o que é que encontras?
por acaso ia mesmo perguntar-te isso :D. sabes que a mente gosta sempre de dissecar tudo para ter a certeza que a individualidade está no direção correta (aprecia :D ). portanto o que é significa olhar? tipo, é para olhar para um objeto em particular (concentrar)? ou é apenas estar atento ao que se passa neste momento (quer sejam imagens, sons, cheiros, etc...) ?

é que às vezes estou apenas atento e outras vezes parece que me estou a concentrar (afunilar a atenção). quando estou apenas atento, tipo em campo aberto, há uma certa sensação de espaço, de vivacidade, tipo eu existo e tudo existe ao mesmo tempo que eu. por outro lado se um objeto em particular capta a minha atenção e foco-me nele parece que eu não existo e só existe a experiência de observar, parece que me torno no objeto. mas ao mesmo tempo nesses momentos de concentração noto que tenho mais tendência para querer que alguma coisa aconteça.

bjs

User avatar
Canfora
Posts: 3759
Joined: Wed May 22, 2013 2:58 pm

Re: Way to Light

Postby Canfora » Mon Nov 19, 2018 12:02 pm

Viva Pedro,
sabes que a mente gosta sempre de dissecar tudo para ter a certeza que a individualidade está no direção correta (aprecia :D ).
Ahah, muito bom...
tipo, é para olhar para um objeto em particular (concentrar)? ou é apenas estar atento ao que se passa neste momento (quer sejam imagens, sons, cheiros, etc...) ?
Ambos.
é que às vezes estou apenas atento e outras vezes parece que me estou a concentrar (afunilar a atenção). quando estou apenas atento, tipo em campo aberto, há uma certa sensação de espaço, de vivacidade, tipo eu existo e tudo existe ao mesmo tempo que eu.
Ok.
por outro lado se um objeto em particular capta a minha atenção e foco-me nele parece que eu não existo e só existe a experiência de observar, parece que me torno no objeto. mas ao mesmo tempo nesses momentos de concentração noto que tenho mais tendência para querer que alguma coisa aconteça.
Ok.

Fico com a impressão de que estás a complicar. E que te focas mais na tua experiência do que em procurar verificar se um eu existe? Como é que fazes quando queres encontrar uma coisa? Tenho a certeza de que se andares à procura das chaves de casa não te focas na sensação de espaço, etc nem no que queres que aconteça, etc.

Bjs,
S


Return to “Other Languages”

Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 3 guests